9 tendências do Marketing Digital em 2021

Magnólias e girassóis do nosso jardim florido, o nosso blog voltou! Siiim, depois de ter tirado 2 anos sabáticos, – apenas o blog, porque nós aqui estávamos focadas em outros projetos – a nossa produção de conteúdo vai voltar. E nada mais lógico que começar com um texto sobre as tendências do Marketing Digital em 2021.

Atenção: o nosso objetivo ao voltar a produzir conteúdo aqui não é fazer cópias de tendências ou ideias de outros blogs e empresas. Portanto, podem esperar por aqui textos que trazem estudos e dados que embasam o que dissermos, mas, sobretudo, a nossa visão de mundo fundamentada em nossa realidade.

Se ainda não sabes quem somos, de onde viemos, de que nos alimentamos, que músicas ouvimos e por que cargas d’água estamos por aqui, aproveita e clica aqui para ver o nosso rosto e uma breve descrição da origem da eleven+.

Sem mais delongas, vamos ao que interessa. 2020 foi um ano – para dizer o mínimo – atípico. Mudanças internas foram sentidas com força e mudanças externas foram vistas e sentidas como relâmpagos: abruptas, rápidas, fortes e silenciosas. 

O ambiente digital teve uma aceleração de todos os processos que estavam em andamento e o comportamento do consumidor foi arrastado na onda. As empresas se viram forçadas a  uma adaptação repentina na maior parte de seus processos, e isso reafirmou o quão flexíveis e resilientes conseguimos ser perante crises.

Tendo como base essa (r)evolução forçada, pode-se colocar em destaque 11 pontos de destaque do marketing digital. São eles:

  1. Lives
  2. Conteúdo interativos
  3. Slow content
  4. Buscas sem cliques no Google
  5. Pesquisa por voz e visual
  6. Humanização das marcas
  7. UGC, micro e nano influencers
  8. Chatbots
  9. Lojas online

1. Lives

É tudo ao vivo e a cores! 2020 foi o ano de mais lives da nossa era. Fomos forçados a nos recolhermos em casa, ou sair o mínimo possível, e foi o momento em que as transmissões ao vivo explodiram no universo digital. Desde concertos, jogos, palestras e formações até conteúdos de utilidade pública e aulas de institutos educacionais.

Seguindo esta tendência, a observar o desenvolvimento nesta área que foi obrigado a surgir e as novas formas de contato que fomos obrigados a desenvolver, tudo indica que 2021 seguirá o mesmo caminho. Portanto, se ainda não fizeste uma live para fortalecer a tua marca, ainda é tempo.

As lives possibilitam interação em tempo real com as pessoas, logo é um ótimo espaço para criar um relacionamento com o teu público e se aproximar dele. Portanto, incentive a participação por meio de perguntas, faça entrevistas, dê amostras gratuitas do teu produto/serviço e produza conteúdo relevante.

2. Conteúdos interativos

Com o distanciamento social a ser obrigatório, ou altamente recomendável, e a seguir a mesma lógica das lives, as pessoas tem buscado formas de interagir umas com as outras no meio digital. É aqui que os conteúdos interativos ganham destaque: eles são uma ótima forma de chamar (e prender) a atenção do teu público por mais tempo.

Explora as possibilidades e usa a criatividade para conhecer melhor quem são as pessoas que se interessam pelo teu produto/serviço. Faz conteúdos que engajem e aproximem as pessoas da tua marca. São muitas as opções: concursos, sorteios, jogos, questionários, infográficos, etc.

3. Slow Content

O slow content é um movimento que defende o processo de produção de conteúdo com mais qualidade e profundidade, num tempo mais respeitoso para quem o faz e para quem o consumirá. Ele vai na contramão da velocidade imposta pela internet, que acaba por gerar ansiedade e trazer informações rasas e rápidas.

A tendência de produção e consumo em modo slow vai muito além da produção de textos, ela se expande para diversas outras áreas da vida, tais como alimentação, moda, viagens, dentre outras. A maior vantagem dessa vertente é que ela realmente traz conteúdo de valor para a persona, consequentemente, gerando melhores resultados para as empresas.

4. Buscas sem cliques no Google

Já deves ter reparado que algumas pesquisas feitas no Google agora são respondidas na própria página de resultados, a SERP (Search Engine Results Page). Ok, isso não é nenhuma novidade. Mas tem acontecido com cada vez mais frequência e precisão, o que faz com que o usuário não precise mais clicar nos sites para ter sua resposta.

Como consequência, as estratégias para gerar tráfego orgânico e a otimização SEO dos sites devem ser repensadas. Alguns recursos como featured snippets, rich snippets e Google My Business (especialmente para pequenas empresas locais) precisam ganhar mais importância. 

Se a tua empresa aparece na SERP como um snippet, isto certamente transmite autoridade e confiabilidade para a persona, fazendo com que as chances de conversão sejam muito maiores. Para isto, não há mistério, apenas muito trabalho: o teu conteúdo tem que ser bem planeado, estruturado e executado.

5. Pesquisa por voz e visual

Com a popularização e aceitação cada vez maiores dos assistentes por voz, como a Alexa da Amazon, e de aparelhos como o Amazon Echo e o Google Home, o uso da tecnologia por comando de voz tem se aperfeiçoado e ganhado os bolsos e lares das pessoas. Seu uso traz agilidade para o dia a dia, ao permitir que a pessoa desempenhe multitarefas. Adaptar o teu site e SEO para uma busca em linguagem natural, como se fosse uma conversa, é um plus para o teu negócio. 

A pesquisa visual segue por este mesmo caminho crescente. Sem mencionar o retorno visual de pesquisas nos buscadores, o Instagram e o Pinterest, por exemplo, são plataformas em que o usuário é impactado primeiramente pelo conteúdo visual. A ferramenta Lens, do Pinterest, vem a melhorar a cada dia e ao capturar uma imagem selecionada por ti, apresenta várias outras relacionadas e semelhantes.

6. Humanização das marcas

De agora em diante, e mais do que nunca, as marcas precisam ser marcas poetas. Ou seja, não é apenas sobre vender um produto ou serviço pura e simplesmente. O teu público quer comprar mais que isso, ele quer consumir propósito e generosidade, ele também está interessado nos valores que a tua marca defende, no posicionamento político, ambiental e social.

A tua marca tem consciência ambiental? Quais causas ela defende? É inclusiva e capacitista? Promove igualdade de gênero? Os compradores atuais buscam identificação com a marca, querem se conectar como indivíduos e se ver representados ali. 

Mas atenção, esse comprometimento precisa ser verdadeiro e deve ressoar em todos os departamentos, desde a contratação de funcionários, criação de produtos, escolha de materiais e departamento de vendas. Deves ser consistente e coerente tanto em tua fala quanto em tua ação.

7. UGC, micro e nano influencers

As publicações UGC (user generated content) constroem e fortalecem comunidades. É uma forma altamente eficaz das marcas estabelecerem relacionamento com seus clientes e fornecer provas sociais. O conteúdo gerado pelos usuários tem se apresentado como de grande valia para influenciar os compradores.

O que nos leva ao papel de micro e nano influenciadores quando o assunto é promover um serviço/produto. Apesar do alcance destes influencers ser mais baixo, o poder de influência que carregam é enorme, ousamos dizer que até maior que o dos grande influenciadores. Afinal, são gente como a gente. 

8. Chatbots

Os chatbots já estão connosco há algum tempo, mas se mostraram de extrema utilidade com o aumento das compras online. Um chatbot é uma espécie de assistente virtual que, por meio da inteligência artificial, consegue manter um diálogo com o usuário via mensagens de texto automatizadas, tornando a experiência do site ou da plataforma mais interativa e eficiente.

Um chatbot não substitui uma pessoa, lembram que já conversamos sobre a importância da humanização das marcas? O chatbot é útil para reduzir gastos e, sobretudo, melhorar a experiência do usuário, afinal, está disponível 24h por dia e podem sanar dúvidas e fazer atendimentos automatizados sempre que possível.

9. Lojas online

Esta é uma tendência que ganhou muito destaque já em 2020, mas que está em crescimento exponencial. Com o lockdown, confinamentos e redução de tráfego de pessoas nas ruas e espaços públicos, as compras online aumentaram massivamente. 

Os negócios que já tinham um e-commerce viram suas vendas online aumentarem e se tornarem as mais relevantes (se já não eram), as empresas que ainda não tinham uma loja online correram para continuar a negociar mesmo à distância e, infelizmente, muitos não conseguiram acompanhar o ritmo das mudanças e foram forçados a fechar as contas.

Agora em 2021 é imprescindível que tenhas uma loja online ou que, ao menos, possibilite vendas pelas redes sociais. Entretanto, para se destacar da concorrência, o ideal é que haja integração do e-commerce com os perfis das redes sociais, isso conduz os usuários de um local para o outro facilmente e aumenta o poder de conversão.

Toma partido das inúmeras possibilidades que a transformação digital nos trouxe. Olhar para a realidade com olhos resolutivos e capazes de se antecipar às mudanças são excelentes características de uma pessoa resiliente.

Agora que já sabes os caminhos que deve seguir para se destacar com as tendências de Marketing Digital em 2021, coloque-as em prática sem demora. Sempre é tempo para aprender, se reinventar e triunfar! Aproveita também e lê o nosso artigo sobre Marketing Digital para pequenas empresas e tenha sucesso online!

No Comments

Post A Comment